O CREDO LIBERAL E OS SEUS CRÍTICOS: PAUPERISMO E REDE DE SEGURANÇA

Authors

  • António Baião Doutorando no CEPS, Universidade do Minho
  • J. A. Colen Investigador Integrado no CEPS, Universidade do Minho e professor convidado no IEP (UCP).
  • Pedro Moreira Doutorando no IEP, UCP

DOI:

https://doi.org/10.21814/eps.1.1.60

Keywords:

Karl Polanyi, Friedrich Hayek, rede de segurança, pauperismo, liberalismo

Abstract

Em 1944, duas obras marcantes da teoria política, A Grande Em 1944, duas obras marcantes da teoria política, A Grande Transformação e O Caminho da Servidão, apresentam visões quase opostas da relação entre o nascimento do “mercado” e os fascismos: no primeiro caso, o mercado provoca o fascismo como reacção de defesa da sociedade, condenada ao pauperismo, contra o credo liberal; no outro, o mercado é a melhor, senão única defesa da liberdade contra o regresso das tendências totalitárias que asfixiam a liberdade, agora sob a forma da planificação. O texto examina os argumentos dos dois autores, procurando elucidar e discutir as concessões de Hayek à intervenção do estado e explicar porque, posteriormente, ele se inclina a abandonar a proposta de uma rede de segurança que defenderia as vítimas das falhas do mercado.

Downloads

Published

2023-09-26

How to Cite

Baião, A., Colen, J. A., & Moreira, P. (2023). O CREDO LIBERAL E OS SEUS CRÍTICOS: PAUPERISMO E REDE DE SEGURANÇA. Ethics, Politics & Society, 1, 305–328. https://doi.org/10.21814/eps.1.1.60