Escorregamentos rasos em São Luiz do Paraitinga (SP, Brasil) (2009-2010)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21814/physisterrae.3076

Palavras-chave:

Movimentos de massa, Litologia, Geomorfometria, Planalto de Paraitinga-Paraibuna, Vale do Paraíba

Resumo

Escorregamentos e inundações estão entre as tipologias de desastres que geram os maiores danos no Brasil. No verão de 2009-2010 algumas cidades no Planalto de Paraitinga-Paraibuna (SP), dentre elas São Luiz do Paraitinga, foram atingidas por precipitações intensas que deflagraram centenas de escorregamentos e uma grande inundação. O objetivo deste artigo foi caracterizar as áreas afetadas por escorregamentos considerando aspectos geológicos, geomorfológicos e de uso da terra, tendo como área de estudo três bacias hidrográficas em São Luiz do Paraitinga com grande quantidade de registros de escorregamentos rasos. Os resultados mostraram um predomínio de vertentes embasadas por granitoides, com ângulos até 23º, com curvatura côncava e cobertas por pastos com terracetes de pisoteio. Os escorregamentos rasos de 2009-2010 ocorreram, sobretudo, em vertentes embasadas por rochas granitoides e migmatíticas, com ângulos entre 25º e 37º. Estudos futuros podem avaliar a relação entre o uso da terra e os escorregamentos de 2009-2010 no Planalto de Paraitinga-Paraibuna, além de avaliações mais detalhadas sobre as propriedades dos solos e os fatores deflagradores dos escorregamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Arguelo, F. V. P. (2016). Simulação hidrológica da bacia do rio Paraitinga para análise das potenciais causas do evento extremo de Cheia e desastre ocorrido na passagem de ano de 2009/2010. Dissertação de doutoramento, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, Brasil.

Avelar, A. S., Netto, A. L. C., Lacerda, W. A., Becker, L. B., Mendonça, M. B. (2011). Mechanisms of the recent catastrophic landslides in the mountainous range of Rio de Janeiro, Brazil. In Landslide Science and Practice: Global Environmental Change, 4, 265-270.

Barata, E. (1969). Landslides in the tropical region of Rio de Janeiro. In Proceeedings of the Seventh International Conference on Soil Mechanics and Foundation Engineering (pp. 507-516), México.

Bigarella, J. J., Bigarella, I. E. K., Jost, H. C. (1975). Catastrophic events in the Tubarão area. Boletim Paranaense de Geociências, 33, 200-206.

Brollo, M J, Faria, D., Guedes, A., Ferreira, C., Rossini-Penteado, D., Armani, G., Santoro, J., Tominaga, L., Pressinotti, M. M. N., Fernandes-da-Silva, P., Ribeiro, R., Amaral, R. (2008). Mapeamento de áreas de risco associados a escorregamentos e inundações - Relatório Técnico - Município de São Luiz de Paraitinga. São Paulo: Instituto Geológico e CEDEC.

Brollo, M. J., Carlos, A., Guedes, M. (2010). Desastres Naturais e Riscos em São Luiz do Paraitinga (SP). In Anais do 7º Simpósio Brasileiro de Cartografia Geotécnica e Geoambiental (pp. 1-19). Maringá: SBCGG.

Campos, J. T. (2011). A Imperial São Luiz do Paraitinga: história, educação e cultura. Taubaté: Resolução Gráfica, 2011.

CEPED-UFSC. (2013). Atlas Brasileiro de Desastres Naturais 1991 a 2012 (2a ed.). Florianópolis: CEPED, Universidade Federal de Santa Catarina.

Coelho-Netto, A. L., Avelar, A. S., Lacerda, W. A. (2009). Landslides and Disasters in Southeastern and Southern Brazil. Developments in Earth Surface Processes, 13, 223-243. https://doi.org/10.1016/S0928-2025(08)10012-8

Coelho Netto, A. L., Sato, A. M., Souza, A. D. S., Vianna, L. G. G., Araújo, I. S., Ferreira, D. L. C., Lima, P. H., Silva, A. P. A., Silva, R. P. (2011). January 2011: The extreme landslide disaster in Brazil. Landslide Science and Practice: Risk Assessment, Management and Mitigation, 6, 377-384.

Correa, M. A., Carriello, F., Rodriguez, D. A. (2015). Análise da expansão da cultura de eucalipto no município de São Luiz do Paraitinga entre os anos de 2000 e 2015. In INPE (Org.), Anais do XIX Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (pp. 347–350). São José dos Campos: INPE.

Costa Nunes, A. J. da. (1969). Landslides in soils of decomposed rocks due to intense rainstorms. In 7th International Conference on Soil Mechanics and Foundation Engineering (pp. 547-554). México.

CPTEC – Centro de Previsão do tempo e Estudos Climáticos. (2010). Infoclima - Boletim de Informações Climáticas do CPTEC/INPE, ano 17, n.1. São José dos Campos: CPTEC/INPE.

De Ploey, J., Cruz, O. (1979). Landslides in the Serra do Mar, Brazil. Catena, 6(2), 111–122. https://doi.org/10.1016/0341-8162(79)90001-8

EM-DAT – Emergency Events Database (2020). OFDA/CRED. The Office of Foreign Disaster Assistance/Centre for Research on the Epidemiology of Disasters. https://public.emdat.be/

Gomes, L. A., Gramani, M. F. (2010). Relato de vistoria técnica - São Luís do Paraitinga.

Gontijo-Pascutti, A. H. ., Hasui, Y., Santos, M., Junior, A. V. S., Souza, I. A. (2012). As Serras do Mar e da Mantiqueira. In A. Hasui, Yociteru; Carneiro, C. D. R; Almeida, F. F. M.; Bartorelli (Org.), Geologia do Brasil (pp. 549–571). São Paulo: Editora Beca.

Gramani, M. F., Arduin, D. H. (2015). Morfologia da drenagem e dos depósitos de debris flow em Itaóca, São Paulo. In ABGE (Coord) Anais do 15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental (pp. 1-10). Bento Gonçalves, ABGE.

Hasui, Y., Bistrichi, C. A., Carneiro, C. D. R., Stein, D. P., Melo, M. S., Pires Neto, A. G., Ponçano, W. L., Almeida, E. B., Siracuza, J. R., Abreu, A. C. S., Frangipani, A., Prandini, F. L., Iwasa, O. Y. (1978). Geologia da Folha de São José dos Campos - SP, SF-23-Y-D-II (Anexo mapa geológico em escala 1:100.000). São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo S/A – IPT.

Hasui, Y., Ponçano, W. l., Bistrichi, C. A., Stein, D. P., Galvão, C. A., Gimenez, A. F., Almeida, M. A., Pires Neto, A. G., Melo, M. S., Santos, M. C. S. R. (1978). Geologia da Região Administrativa 3 (Vale do Paraíba) e parte da Região Administrativa 2 (Litoral) do Estado de São Paulo. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo S/A – IPT.

Horta, I. T. L. G. (2017). Análise de impactos pluviais em São Luiz do Paraitinga - SP/Brasil. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Jones, F. O. (1973). Landslides of Rio de Janeiro and the Serra das Araras Escarpment, Brazil. Geological Survey Professional Papers, 697. Washington: United States Geological Survey. https://doi.org/10.3133/pp697

Marchezini, V., T., R., Conceição, R. S., Mendes, T. S. G., Negri, R. G. (2018). Desafios para uma agenda de prevenção de desastres em sítios históricos: o caso de São Luiz do Paraitinga, SP. Patrimônio e Memória, 14, 2, 375–400.

Marques, M. C. D. O., Coelho Netto, A. L., Sato, A. M. (2018). Influência de floresta secundária e gramínea na deflagração de deslizamentos translacionais rasos em Nova Friburgo, Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Geomorfologia, 19(4), 793-806. http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v19i4.1479

Martins, T. D., Oka-Fiori, C., Vieira, B. C., Bateira, C. V. M., Montgomery, D. R. (2017). Avaliação de MDT na modelagem de instabilidade de vertentes. RA’EGA - O Espaco Geografico em Análise, 41, 07-19. http://dx.doi.org/10.5380/raega.v41i0.47607

Massad, F., Cruz, P. T., Kanji, M. A. E., Araújo Filho, H. A. (2000). Characteristics and volume of sediment transported in debris flows in Serra do Mar, Cubatão, Brasil. Proceedings of the International Workshop on Debris Flow Disaster. Venezuela: Caracas.

Matos, L. D. J., Ferreira, C. J., Bateira, C. V. de M., Vieira, B. C. (2018). Avaliação das Construções Danificadas por Corridas de Detritos e Inundações Bruscas no Vale do Ribeira (SP) em 2014. Revista do Departamento de Geografia, Especial, 57–67. https://doi.org/10.11606/rdg.v0ispe.144423

Negrão, A. C., Rodriguez, D. A., Chou, S. C., Medeiros, G. S., Siqueira Junior, J. L., Camargo, C. P. (2017). Previsão de vazão de eventos extremos utilizando o modelo hidrológico distribuido MHD-INPE e previsões meteorológicas do modelo ETA-INPE para uma alta resolução espacial - Estudo de caso: São Luiz do Paraitinga (SP). Revista Brasileira de Cartografia, 69(4), 647–657.

Oliveira, M. R. P. de, Vieira, B. C., Ross, J. L. S. (2018). Suscetibilidade Morfológica e Geológica aos Escorregamentos no Planalto de Paraitinga-Paraibuna (SP). Revista do Departamento de Geografia, Especial, 93-106. https://doi.org/10.11606/rdg.v0ispe.148486

Oliveira, J. R. R. (2016). Redução de risco de desastres e desenvolvimento sustentável. In Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil de São Paulo (CEPDC-SP) (Org.), Redução de risco de desastres: Uma construção de resiliência local (p. 13–26). São Paulo: Imprensa Oficial.

Pellegrina, G. (2011). Proposta de um procedimento metodológico para o estudo de problemas geoambientais com base em banco de dados de eventos atmosféricos severos. Dissertação de mestrado, Universidade Estadual Paulista, Bauru, Brasil.

Petrone, P. (1959). A região de São Luiz do Paraitinga. Revista Brasileira de Geografia, 21(3), 3-99.

Riccomini, C., Sant’Anna, L. G., Ferrari, A. I. (2004). Evolução Geológica do Rift Continental do Sudeste do Brasil. In B. B. Mantesso-Neto, V.; Bartorelli, A.; Carneiro, C .D. R.; Brito-Neves (Orgs.), Geologia do Continente Sul Americano: Evolução da Obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. (p. 383–405). São Paulo: Editora Beca.

Ross, J. L. S., Moroz, I. C. (1996). Mapa Geomorfológico do Estado de São Paulo. Revista do Departamento de Geografia, 10, 41–58. https://doi.org/10.7154/RDG.1996.0010.0004

Santos, C. M. (2016). Memórias e formas urbanas: a reconstrução do núcleo urbano de São Luiz do Paraitinga e a preservação do seu patrimônio cultural. Boletim Campineiro de Geografia, 6(2), 385-406.

Santos, C. M. P. (2006). O reencantamento das cidades: Tempo e Espaço na memória do patrimônio cultural de São Luiz do Paraitinga/SP. Dissertação de mestrado, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Brasil.

Serviço Geológico do Brasil - CPRM, Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT S/A. (2014). Carta de Suscetibilidade a Movimentos Gravitacionais de Massa e Inundações - Município de São Luís do Paraitinga/SP. Escala 1:50.000.

Silveira, C. T. da, Fiori, A. P., Ferreira, A. M., Felipe, R. D. S., Kepel Filho, J. L., Folador, R. M., Costa, L. C. (2013). Análise do Fator de Segurança da estabilidade das vertentes na bacia do rio Jacareí, Serra do Mar Paranaense. Revista Brasileira de Geomorfologia, 13(3), 287-297. http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v13i3.224

Stabile, R. A., Colângelo, A. C. (2017). Estudo pluviométrico dos escorregamentos deflagrados no verão de 2009/2010 no planalto do Paraitinga (SP). In A. Perez Filho, R. R. Amorim (Org) Os Desafios da Geografia Física na Fronteira do Conhecimento (p. 3878–3889). Campinas: Universidade Estadual de Campinas.

Tatizana, C., Ogura, A. T., Cerri, L. E. S., Rocha, M. C. M. (1987). Análise da correlação entre chuvas e escorregamentos na Serra do Mar, município de Cubatão. In Anais do 5º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia (pp. 225–236). São Paulo: ABGE.

Verde, P. F. (2013). Cidades históricas atingidas por tragédia ambiental: estudo de caso de São Luís do Paraitinga (SP). Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, Brasil.

Vianna, L. F. N. (2009). Relatório sobre o levantamento dos deslizamentos ocasionados pelas chuvas de novembro de 2008 no complexo do Morro do Baú, municípios de Ilhota, Gaspar e Luiz Alves. Florianópolis: Epagri, 2009.

Wolle, C. M., Hachich, W. (1989). Rain-induced landslides in Southeastern Brazil. In Proceedings of the 12th International Conference on Soil Mechanics and Foundation Engineering (pp. 1639–1642). Rio de Janeiro.

##submission.downloads##

Publicado

2021-01-27

Edição

Secção

Metodologias em Geomorfologia