Interface entre patrimônio geomorfológico e cultural no Pampa: discussão a partir do Cerro do Jarau e do Cerro dos Porongos (Rio Grande do Sul, Brasil)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21814/physisterrae.2718

Palavras-chave:

Patrimônio Geomorfológico, Patrimônio Cultural, Geopatrimônio, Pampa, Cerro, Morro testemunho

Resumo

O presente artigo objetiva discutir a intrínseca relação entre patrimônios naturais, precisamente os classificados como geológicos/geomorfológicos, e patrimônios classificados como culturais, tendo como ponto de partida o Cerro do Jarau e o Cerro dos Porongos, ambos situados no bioma Pampa, no sul do Brasil. Metodologicamente, buscou-se uma abordagem disruptiva em relação à predominante visão dualista entre ciências naturais e sociais. A pesquisa envolveu a sistematização de informações provenientes de outras pesquisas, leituras e avaliação de bibliografia, discussões acadêmicas e técnicas realizadas a partir dos órgãos ambiental e patrimonial, instrumentos legais e políticas de atuação destes. Neste contexto, a partir da caracterização dos valores destes sítios, a presente pesquisa analisa os cerros como patrimônios geomorfológicos e, ao mesmo tempo, culturais. Em comum, estes locais têm formas de grande beleza cênica e possuem importante referência histórica e identitária para a população gaúcha, sendo mencionados também como ícones na paisagem regional. Os morros testemunhos e cerros do Rio Grande do Sul ilustram objetivamente a artificialidade das divisões entre patrimônio natural e cultural, ainda necessitando ser efetivamente incorporados nas políticas públicas e no planejamento territorial, sendo necessária uma aproximação entre os órgãos ambientais e culturais em prol da efetiva proteção dos patrimônios conforme preconiza a legislação vigente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ab'Sáber, A. N. (1970). Províncias geológicas e domínios morfoclimáticos no Brasil. Geomorfologia. São Paulo: Universidade de São Paulo, 20, 1-26.

Ab'Sáber, A. N. (2003). Os domínios de natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial.

Alves, F. da S. (2012). Fitogeografia da região do Jarau – Quaraí/RS. Tese de Doutorado em Engenharia Florestal, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Brasil

Bilhar, J. D., Midugno, R., Silva, R. F., Kormann, T. C. (2019). Cerro dos Porongos: um lugar de memórias. In: Anais do V Simpósio Brasileiro De Patrimônio Geológico: (Re)Pensar o Patrimônio Geológico para o Geoturismo e Desenvolvimento Local (pp. 20-21). Crato: Universidade Federal do Cariri.

Brasil (1937). Decreto-Lei nº 25, de 30 de novembro de 1937. Organiza a proteção do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Disponível em 13/05/2020 em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del0025.htm

Brasil (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em 30/01/2020 em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm

Brasil (2000). Institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Lei n. 9.985, de 18 de julho de 2000. Disponível em 22/08/2012 em: http://www.mma.gov.br/estruturas/sbf_dap_cnuc2/_arquivos/snuc.pdf

Brilha, J. (2005). Património Geológico e Geoconservação: A Conservação da Natureza na sua Vertente Geológica. Braga: Palimage Editores.

Brilha, J. (2016). Inventory and quantitative assessment of geosites and geodiversity sites: a review. Geoheritage, 8(2): 119-134.

Castro, A. R. S. F., Mansur, K. L., Carvalho, I. S. (2018). Reflexões sobre as relações entre geodiversidade e patrimônio: um estudo de caso. Terr@Plural, 12(3): 383-403. Disponível em 30/11/2020 em: https://revistas.apps.uepg.br/index.php/tp/article/view/12067

Carcavilla, L., Durán, J.J., López-Martínez, J. (2008). Geodiversidad: concepto y relación con el patrimonio geológico. Geo-Temas, 10, 1299-1303. Disponível em 23/01/2020 em: https://www.igme.es/patrimonio/descargas/concepto_Geodiversidad.pdf

Chomenko, L., Bencke, G. A. (2016). Nosso Pampa desconhecido. Porto Alegre: Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, 2016.

Coratza, P., Hobléa, F. (2018). The specificities of geomorphological heritage. In: Reynard, E., Brilha, J. (Orgs.). Geoheritage: Assessment, Protection and Management (pp. 87–106). Amsterdam: Elsevier.

Couto, M. S., Figueiredo, C. A. A. (2019). Geoconservação em Monumentos Naturais no Brasil. Physis Terrae: Revista Ibero-Afro-Americana de Geografia Física e Ambiente, 2, 231–248. Disponível em 22/05/2020 em: https://revistas.uminho.pt/index.php/physisterrae/article/view/2269

Crósta, A. P., Lourenço, F. S., Priebe, G. H. (2010). Cerro do Jarau, Rio Grande do Sul: a possible new impact structure in southern Brazil. In: Gibson, R. L., Reinold, W. U. (Orgs.) Large Meteorite Impacts and Planetary Evolution IV. The Geological Society of America Special Paper, 465, 173-190.

Delphim, C. F. M. (2009). Paisagens do Sul: Pareceres de Carlos Fernando de Moura Delphim sobre bens patrimoniais do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: IPHAN.

Fontana, V., Reed, S. (2019). Mais degradado que o Cerrado e Amazônia, Pampa é o bioma menos protegido do país. National Geographyc. Disponível em 31/01/2020 em: https://www.nationalgeographicbrasil.com/meio-ambiente/2019/10/degradacao-cerrado-amazonia-pampa-bioma-brasil-rio-grande-do-sul-vegetacao?fbclid=IwAR2-n2Fy3JBycZ0s3K6KIK_a_DOGzvKEGJNaNNjLf1vv7sK3_xfJO8_TmJ0

Guerra, A. J. T. (1975). Dicionário geológico-geomorfológico. (4th ed.). Rio de Janeiro: IBGE.

IBGE (2004). Mapas de biomas do Brasil, primeira aproximação. Formato shapefile. Rio de Janeiro. Disponível em 14/04/2018 em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/cartas-e-mapas/informacoes-ambientais/15842-biomas.html?=&t=downloads

IPHAN (2009). Estabelece a chancela da Paisagem Cultural Brasileira. Portaria nº 127, de 30 de abril de 2009. Diário Oficial União. Disponível em 21/06/2020 em: https://www.normasbrasil.com.br/norma/portaria-127-2009_214271.html

IPHAN (2020a). Conjuntos Urbanos Tombados Nordeste – Lençóis - BA. Disponível em 28/05/2020 em: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/115

IPHAN (2020b). Bens Tombados. Disponível em 24/05/2020 em: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/126

IPHAN (2020c). Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC). Disponível em 28/05/2020 em: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/685/

Kuplich, T. M., Capoane, V., Costa, L. F. F. (2018). O avanço da soja no Bioma Pampa. Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul, 31, 83–100. Disponível em 26/02/2020 em: https://revistas.fee.tche.br/index.php/boletim-geografico-rs/article/view/4102

Melo, I. (2020). Veio do espaço: você sabe como se formou o Cerro do Jarau, famoso por lenda e da Era dos dinossauros? Disponível em 31/01/2020 em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/comportamento/noticia/2020/01/veio-do-espaco-voce-sabe-como-se-formou-o-cerro-do-jarau-famoso-por-lenda-e-da-era-dos-dinossauros-ck62i88t10d3c01mvyy8i7nsr.html

MMA (2007). Portaria MMA nº 9, de 23 de janeiro de 2007. Disponível em 26/02/2020 em: https://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Portaria/2007/p_mma_09_2007_areaprioritariaparabiodiversidade_revgd_p_126_2004.pdf

Overback, G. E. et al. (2009). Os campos sulinos: um bioma negligenciado. In: Pillar, V. de P., Müller, S. C., Castilhos, Z. M. de S., Jacques, A. V. A. (Eds.). Campos Sulinos: conservação e uso sustentável da biodiversidade. (pp. 26-41). Brasília: MMA. Disponível em 29/04/2018 em: http://ecoqua.ecologia.ufrgs.br/arquivos/Livros/CamposSulinos.pdf

Pereira, R. F., Brilha, J., Martinez, J. E. (2008). Proposta de enquadramento da geoconservação na legislação ambiental brasileira. Memórias e notícias: Publicação do Departamento de Ciências da Terra e do Museu de Mineralogia e Geologia, 3, 491–499. Disponível em 09/04/2020 em: http://sigep.cprm.gov.br/destaques/Pereira_Brilha_Martinez_GDCL_2008.pdf

Pereira, A., Martins, B. (2018). Interações entre o patrimônio geomorfológico e a paisagem cultural da Serra do Alvão: a perspectiva da Geomorfologia Cultural. In: Anais do II Encontro Luso-Afro-Americano de Geografia Física e Ambiente (1167-1173). Guimarães: Universidade do Minho.

Pesavento, S. J. (1982). História do Rio Grande do Sul. (2th ed.). Editora Mercado Aberto: Porto Alegre.

Reynard, E., Giusti, C. (2018). The Landscape and the Cultural Value of Geoheritage. In: Reynard, E., Brilha, J. (Eds.). Geoheritage: Assessment, Protection and Management (pp. 147-166). Amsterdam: Elsevier.

Ribeiro, R. W. (2016). Rio de Janeiro: paisagens cariocas entre a montanha e o mar. Santos: Editora Brasileira de Arte e Cultura; Brasília: UNESCO.

Salaini, C. J., Graeff, L. (2011). A respeito da materialidade do patrimônio imaterial: o caso do INRC Porongos. Revista Horizontes Antropológicos, 36, 171-195. Disponível em 21/03/2019 em: https://www.scielo.br/pdf/ha/v17n36/v17n36a08.pdf

Sánchez, J. P., Garcia, M. da G. M. A. (2013). A cratera de impacto do Cerro do Jarau-RS, Brasil: Uma abordagem geoturística. In: Anais do II Simpósio Brasileiro de Patrimônio Geológico, 2013. (p. 102-110). Ouro Preto: Universidade Federal de Ouro Preto.

Sánchez, J. P., Simões, L. S. A., Martins, L. E. B. (2014). Estratigrafia e estrutura do Cerro do Jarau: nova proposta. Brazilian Journal of Geology, 44(2): 265-276. Disponível em 25/02/2020 em: https://www.scielo.br/pdf/bjgeo/v44n2/2317-4889-bjgeo-44-02-00265.pdf

SEMA - Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Rio Grande do Sul (2013). Proposta de criação de unidade de conservação na região do Cerro do Jarau, município de Quaraí, Rio Grande do Sul. (Parecer Técnico). Porto Alegre.

Silva, R. G. P., Mansur, K. L., Castro, A. R. S. F. (2020). Consolidação da geodiversidade como patrimônio e o valor geológico dos monumentos do Rio de Janeiro. Anuário do Instituto de Geociências - UFRJ, 43(3): 488-497. Disponível em 25/10/2020 em: https://revistas.ufrj.br/index.php/aigeo/article/view/36435

Suertegaray, D. M. A. (2018). Geografia Física e Geomorfologia: uma releitura. (2th ed.). Porto Alegre: Compasso.

Vieira, L. de F. dos S. (2014). A valoração da beleza cênica da paisagem do bioma pampa do Rio Grande do Sul: proposição conceitual e metodológica. Tese de doutorado em Geografia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil. Disponível em 19/10/2017 em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/106341

Wiggers, M. M (2015). O Bioma Pampa como Patrimônio Natural, Ambiental e Paisagístico. O futuro do Bioma Pampa, Centro Cultural da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2015. (Palestra). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Downloads

Publicado

31-12-2021

Edição

Secção

Geoconservação e Património Natural